Respeito gera Respeito

Prezados (as),

O Grupo Vitamóre – Associação dos Portadores do Vírus HTLV, que também é uma DST, é uma Instituição registrada, que cumpre com todas as suas obrigações legais, mas não tem sido reconhecida e nem respeitada como deveria.

A Vitamóre  tem representação em alguns grupos do Estado, é filiada ao Forum ONg Aids – RJ, tem total apoio e colaboração do Grupo Pela Vidda do RJ, que, na oportunidade postamos aqui nossos agradecimentos a todos que lá trabalham, mas o mesmo não acontece por parte de outras Instituições.

Como todos devem saber, estamos construindo um Seminário em HTLV que acontecerá de 19 a 22 de setembro e estamos “tirando leite de pedra”, para que o mesmo aconteça conforme foi projetado.

Solicitamos ajuda ao Estado, apresentamos nossa solicitação de apoio dentro dos padrões exigidos, enviamos o projeto. Após dias de espera por uma resposta, nos solicitaram uma “Oficina de HTLV” para que pudéssemos mostrar a necessidade do Seminário e o Estado decidir se nos apoiaria ou não. Aguardamos mais um século pela resposta. Após cobrarmos uma decisão, fomos informados que havia um impasse, pois o “Estado não apoia eventos que cobrem a inscrição”, mas que deveríamos aguardar a resposta final. Alguns dias depois recebemos uma resposta, no mínimo, abusiva.  Ofereceram-nos 3(três) coffes em troca de 20(vinte) vagas gratuitas para representantes do Estado – são 4 dias inteiros de Seminário para 200 pessoas . Bom, sem comentários.

Começamos então a buscar outras possíveis parcerias/apoio.  Enviamos vários e-mails para UNAIDS, em atenção ao Sr. Pedro Chequer com cópia para seus assessores, perguntando da possibilidade em nos dar algum tipo de apoio. O primeiro e-mail foi enviado em 17/05, o segundo em 23/05, o terceiro em 11/06 e o último em 26/06. Nunca recebemos qualquer tipo de resposta e nem o retorno dos e-mails por alguma falha do provedor ou endereço. O que significa que ele recebeu.

Reza a lenda da boa educação, que você deve responder a qualquer correspondência quando se trata de Instituição.  Já recebemos resposta até mesmo da Assessoria da Presidente Dilma, mas da UNAIDS…  Nada!!!!

O que está acontecendo?  O Estado, pelo menos, nos respondeu mesmo sendo uma resposta que prefiro não rotular. Mas a toda poderosa UNAIDS, simplesmente ignorou nossos e-mails. Seria o fato de a Vitamóre ser uma Associação de Portadores do HTLV?  Será que os gestores da UNAIDS sabem que é muito comum a coinfecção HIV/HTLV?  Que a Vitamóre, quando solicitada, atende a qualquer portador de qualquer DST? Que o nosso foco é a prevenção de qualquer doença?

A Diretoria do Grupo Vitamóre – Associação dos Portadores do Vírus HTLV, exige respeito, consideração e reconhecimento de qualquer outra ONG. Não criamos uma Instituição para ficar fazendo turismo com o CNPJ, não criamos uma Instituição para se beneficiar do dinheiro público. Criamos uma Instituição para dar visibilidade a uma doença negligenciada pelos órgãos da saúde pública, que procura ajudar os portadores em todo o País com informações sobre o Vírus, buscando atendimento médico para aqueles que ficam perdidos sem saber o que fazer com o resultado nas mãos, intermediando junto ao SUS a aquisição de órteses para quem já está com comprometimento dos membros inferiores, buscando informações atualizadas sobre avanços e desafios para ações de enfrentamento do HTLV, e tantas outras coisas que não têm a visibilidade esplanada na mídia, mas que já estão surtindo efeitos junto ao Ministério da Saúde, portanto, por favor, nos respeitem.

Somos a única ONG de HTLV em atividade no Brasil, que funciona sem nenhum recurso financeiro, mas trabalhamos mais que 10 ONGS de HIV juntas que sempre conseguem algum tipo de apoio.

A bandeira do ativismo do HIV diz não a discriminação, não ao preconceito e sim a igualdade de direitos. Que rótulo usaremos para o que estão fazendo com a Associação dos Portadores do Vírus HTLV – Grupo Vitamóre?

Att.,
Sandra do Valle

This entry was posted in Comunicado, Governamental, Seminário HTLV. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *