IMUNOENSAIO DE LINHA PARA CONFIRMAR E DISCRIMINAR INFECÇÕES PELOS VÍRUS LINFOTRÓPICOS DE CÉLULAS T HUMANAS EM AMOSTRAS DE SORO DO BRASIL, COM RESULTADOS INCONCLUSIVOS NO WESTERN BLOT

Mais um trabalho de pesquisas que foi publicado.

#gratidão Dra. Adele Caterino

RESUMO

Dificuldades para confirmar e discriminar infecções pelos vírus linfotrópicos de células T humanas dos tipos 1 e 2 (HTLV-1 e HTLV-2) pelo ensaio sorológico de  Western Blotting (WB) (HTLV Blot 2.4, MP Biomedicals) têm sido relatadas no Brasil, principalmente em pacientes com HIV/aids, com um grande número de resultados indeterminados e HTLV positivos mas não tipados pelo WB. No entanto, o imunoensaio de linha (LIA) (INNO-LIA HTLV-I/II, Fujirebio) apresentou maior especificidade e sensibilidade para confirmar infecções por HTLV-1/2. Para adicionar informações a respeito da capacidade aprimorada do LIA em relação à WB, quando aplicada em amostras de indivíduos de diferentes grupos de risco do Brasil, realizamos o presente estudo. Foram analisados três grupos: grupo 1 [G1], 62 amostras de pacientes com HIV/aids de São Paulo-SP (48 WB-indeterminados + 14 HTLV); grupo 2 [G2], 24 amostras de pacientes com hepatite B ou hepatite C de São Paulo (21 WB-indeterminado + 3 HTLV; 17 soropositivos para o HIV) e grupo 3 [G3], 25 amostras de ambulatórios de HTLV de Salvador-Bahia (16 WB-indeterminados + 9 HTLV; todos soronegativos para o HIV). No geral, o LIA confirmou a infecção por HTLV-1/2 (HTLV-1, HTLV-2 ou HTLV) em 66,1% [G1], 83,3% [G2] e 76,0% [G3] das amostras. Curiosamente, a maioria dos resultados indeterminados de WB foi confirmada por LIA como HTLV-2 em G1 e G2, mas não em G3, em que as amostras foram definidas como positivas para HTLV-1 ou HTLV. Esses resultados concordam com os tipos de vírus que circulam em pacientes de diferentes regiões do Brasil e enfatizam o LIA como o melhor teste sorológico para confirmação de infecções por HTLV-1 e HTLV-2, independentemente de serem aplicadas em indivíduos monoinfectados ou coinfectados por HTLV.

PALAVRAS-CHAVE: diagnóstico, HTLV, testes confirmatórios sorológicos, LIA, WB

Karoline R. Campos,a Fred L. N. Santos,b Vanessa S. Brito,c Noilson L. S.

Gonçalves,b,c Thessika H. A. Araujo,c Bernardo Galvão-Castro,b,c,# Adele Caterino-de-Araujo,a,#

aCentro de Imunoogia, Instituto Adolfo Lutz (IAL), São Paulo, São Paulo, Brasil;

bLaboratório Avançado de Saúde Pública, Instituto Gonçalo Moniz (IGM), FIOCRUZ-BA, Salvador, Bahia, Brasil;  

cCentro Integrativo Multidisciplinar de HTLV, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP), Salvador, Bahia, Brasil.

#Endereço para correspondência: Adele Caterino-de-Araujo, adele.caterino@ial.sp.gov.br e Bernardo Galvão-Castro, bgalvao@bahiana.edu.br 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *