RESENHA DO CONGRESSO AIDSINBAHIA

 

Como sempre acontece, segue uma pequena resenha do que aconteceu durante o 9º Congresso Brasileiro de HIV/AIDS e Vírus Relacionados, que aconteceu no período de 28 a 30/08/2019 em Salvador-BA.

Todo o Congresso foi transmitido ao vivo na página do Face book da Laura Lee Vida e continuará disponível para quem perdeu alguma coisa.

Durante o Congresso eu e Laura Lee ocupamos lugares distintos. Ela ficou todo o tempo no Auditório fazendo a transmissão ao vivo, respondendo as perguntas e cuidando para que todos tivessem uma boa imagem e som. Eu na recepção divulgando informações, promovendo a Vitamóre, articulando com médicos e profissionais de saúde possíveis palestras, encontro nacional de portadores, atendimento especializado nos Estados, patrocínio e próximos eventos relacionados ao HTLV.

Como a aula mais interessante para nós, portadores/pacientes de HTLV, apresentada pelo Dr. Glen, foi toda em inglês e não havia tradução simultânea, eu solicitei a Dra. Maria Fernanda Rios Grassi (Médica infectologista e Professora na Escola Bahiana de Medicina) que fizesse um resumo do que foi dito na aula. Gentilmente ela me enviou o texto abaixo:

“O pesquisador Glen Barber da Universidade de Miami Miller fez uma apresentação sobre o desenvolvimento de uma possível vacina contra o HTLV no 9º CONGRESSO BRASILEIRO DE HIV / AIDS E VÍRUS RELACIONADOS, que aconteceu no dia 30 de agosto de 2019 em Salvador, Bahia.

A estratégia idealizada pelo Dr. Barber baseia-se em uma vacina já desenvolvida em seu laboratório para o tratamento de câncer. A equipe liderada pelo professor descobriu que a maioria das células tumorais tem uma capacidade reduzida para produzir o interferon tipo I, importante para a defesa contra células tumorais e também de células infectadas por vírus. Assim eles propuseram o uso do vírus da estomatite vesicular (VSV) como terapêutica para o tratamento do câncer. Tais estudos permitiram iniciar os ensaios de Fase I e logo Fase II usando VSV recombinante como agente oncolítico.

A proposta para uma vacina contra o HTLV seria construir um vetor VSV recombinante contendo genes para as proteínas virais do HTLV a fim de fortalecer a resposta imune contra este vírus. Embora muito preliminar, essa estratégia poderia ser utilizada no futuro no contexto da infecção pelo HTLV, em pacientes com leucemia/linfoma ou aqueles com a mielopatia associada ao HTLV.”

Não vou fazer nenhum comentário sobre o que tem de novidades, avanços e regressos na questão do HIV/AIDS e vírus relacionados porque não havia nenhum representante das centenas de ONGS/AIDS do Rio de Janeiro. Fato bastante desagradável, pois o que acaba acontecendo entre elas são conversas atravessadas que não chegam à ponta. Eu sempre disse e afirmo que o meu foco é o HTLV, uma coisinha chata feito carrapato, que nenhum laboratório ou gestor de saúde pública dá a mínima importância, ao contrário do HIV. Mas a missão da Vitamóre é não deixar cair no esquecimento e compartilhar nossas informações sobre HTLV com a sociedade geral, sem fazer discriminação de ONG disso ou daquilo, embora a recíproca não seja verdadeira….

Só para vocês terem uma ideia da importância das informações sobre HIV/AIDS, foram apresentados alguns casos de soroconversão em usuários da PreP e estudos de medicamentos que possam evitar o envelhecimento precoce causado pela TARV.

Sandra Do Valle

#gratidão Dr. Carlos Brites (Presidente do Congresso)

 

 

 

 

 

 

#gratidão Dra. Maria Fernanda Grassi e Ricardo Khouri (médicos/pesquisadores engajados na causa HTL)

This entry was posted in Cientifico, Comunicado, Eventos, Informativo. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *