1º ENCONTRO COM A NOVA DIRETORIA DO DEPARTAMENTO DE DST/AIDS E HV – DDAHV

wp_20161108_12_11_08_pro wp_20161108_12_11_22_proRESENHA DA REUNIÃO SOBRE PREVENÇÃO DO HTLV, QUE ACONTECEU NO DIA 08/11, NO DEPARTAMENTO DE DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS, EM BRASÍLIA.

A reunião foi solicitada pelo Grupo Vitamore no intuito de discutir a pauta sobre o HTLV com a atual Diretoria do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais.

O Dr. João Paulo Toledo, Diretor do DDAHV, fez uma pequena apresentação das propostas que foram incluídas no Planejamento/2017-2018, no que diz respeito à prevenção e informação do HTLV.

A primeira boa notícia é que o HTLV deverá ser incluído na Caderneta da Gestante, ou seja, a gestante terá informações sobre o vírus, mas não quer dizer que ela fará o teste na rede pública de saúde. O teste ainda não foi incorporado no SUS porque o GT que elabora os projetos que serão apresentados a CONITEC, esbarrou na questão do custo. Eles estão recalculando tudo até conseguirem um resultado que possa ser apresentado, sem riscos de recusa pela CONITEC.

Sendo a gestante diagnosticada com HTLV, ela terá direito assegurado para receber a fórmula infantil para o bebê, pelo Sistema Básico de Saúde e o médico terá que prescrever o uso da Cabergolina para que entre no Sistema de Informação Hospitalar.

Foi questionada a falta de investigação familiar do doador de sangue com resultado positivo para o HTLV. Principalmente a falta de uma instituição pública onde ele possa fazer o confirmatório. Esta situação mascara a real prevalência de pessoas infectadas pelo vírus.

Foi acordado que será encaminhada uma proposta para a realização do teste de triagem pelo SUS e que o confirmatório, pode ser realizado sendo subsidiado pelo Estado, de acordo com a sua realidade local. O teste confirmatório que está incorporado no SUS é apenas para pacientes com linfoma/leucemia associada ao HTLV-1. A equipe do Departamento esclareceu que a inclusão do teste confirmatório foi uma grande conquista. Uma porta aberta para outras providências voltadas ao agravo HTLV.

A Dra. Anísia da Soledade Dias Ferreira do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa – GIPH – Fundação Hemominas, levantou a questão de que o HTLV tem que estar no Guia de Vigilância Sanitária para que todos saibam do que se trata, para levar o conhecimento da doença à atenção básica de saúde que, em sua maioria, nunca ouviu falar sobre HTLV e não sabe diagnosticar.  O Dr. Paulo Toledo – Diretor do DDAHV – informou que já está no planejamento de 2017, pautar essa questão junto a SVS (Secretaria de Vigilância Sanitária), da mesma forma, na atualização do Caderno de Atenção Básica, incluir o HTLV.

O atual Guia de Manejo Clínico ao Portador de HTLV, ficou obsoleto e não pode ser padronizado, porque o HTLV não tem tratamento específico, apenas para as infecções causadas por ele. Acordamos que o Guia será atualizado e “enxugado” para poder fazer parte da  cartilha sobre as DST.

Sugerimos que toda arte elaborada pelo Departamento sobre DST, tenha também o HTLV. Vai depender das gerências estaduais incluir, ou não, o HTLV no material gráfico de sua responsabilidade. (Eu digo que a sociedade civil tem que cobrar isso dos Estados).

Falamos sobre a questão de que outros movimentos precisam incluir o HTLV na pauta de seus eventos. Será dado encaminhamento além de incluir nos Editais de Projetos para a Sociedade Civil.

Hoje o Dr. Paulo Toledo, me enviou a “ajuda de memória da reunião”, com um resumo do que foi discutido e os encaminhamentos acordados. Confesso que fiquei muito otimista, pois isso nunca aconteceu. E olha que já participamos de várias reuniões no Departamento!

ENCAMINHAMENTO:

  • O DDAHV ficou de solicitar o relatório para a CONITEC e disponibilizá-lo.
  • (já estou com o relatório)
  • Houve questionamento quanto à não-citação do HTLV no Guia de Vigilância e Cadernos da Atenção Básica.
  • Avaliar possibilidade de elaborar Telelab para profissionais de saúde sobre o agravo;
  • Elaborar pílulas de vídeo (mídias digitais) com informações ao portador ( Vitamore encaminhar o roteiro);
  • Anísia ficou de encaminhar a lista de serviços que atendem HTLV a ser disponibilizada na página do DDAHV;
  • DDAHV solicitar pauta sobre o agravo no GTVS, bem como incluir nas prioridades de pesquisas para 2017/2018, além, de inclusão nos editais de projetos para Sociedade Civil (dar destaque).
  • DDAHV deve pautar o agravo com as Coordenações de DST/Aids e HV

Participaram da Reunião:

João Paulo Toledo (Diretor) e representantes das áreas de Assistência, Laboratório e Prevenção , Gil Casimiro, Ana Mônica de Mello, Nazle Mendonça Collaço Veras, Ana Flávia Nacif, Alexsana Sposito Tresse.

Convidados:  Sandra Do Valle e Dra. Anísia da Soledade Dias Ferreira

Amigos espero que pelo menos 1 portador de HTLV em cada Estado, procure o Gestor de Saúde e cobre dele a prevalência de HTLV em sua cidade e/ou Estado. Preciso saber também, quais as Instituições Públicas que estão atendendo portadores de HTLV.

ATENÇÃO BRASIL, ESSAS INFORMAÇÕES SÃO PRA ONTEM, OK???

ESTÁ NA HORA DE VOCÊS ENTRAREM NA LUTA!!

e-mail:  contato@vitamore.com.br

This entry was posted in Comunicado, Direitos, Governamental, Informativo, Reunião. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *