ESCLARECENDO DÚVIDAS SOBRE APOSENTADORIA DO PORTADOR DE HTLV

 

Prezados amigos.

Ainda é uma situação muito complexa a questão da aposentaria por invalidez do portador de HTLV. Não deveria ser, correto?

O HTLV, uma vez manifestando algum tipo de infecção, é irreversível. O HTLV é um retrovírus que causa doenças progressivas, degenerativas, não tem cura e nem tratamento específico, isso é fato.

Infelizmente, nossos “peritos” da Previdência Social, não estão capacitados para avaliar o laudo de um portador de HTLV sintomático. Mesmo em situação de cadeirante, alguns peritos não vêm incapacidade para atividades laborativas, por desconheceram os danos causados pelo vírus.

Existem vários portadores que estão em benefício pelo INSS, há vários anos. O que considero um absurdo, uma total falta de respeito ao paciente e mais ainda ao seu colega que emitiu o laudo. Mas a culpa não é, necessariamente, deles. Infelizmente o sistema escala dentistas, dermatologista, e outros “istas” que não têm a mínima noção do tipo de atendimento que vão fazer, então tudo vira uma bagunça só.

Não cabe a nós, usuários do SUS, levar cartilha, fotos, endereços de sites, folders e outros informativos sobre a doença, para que o profissional saiba com o que ele está lidando. Até porque ele é “Deus” e você…………..ninguém

Se o “Doutor” não tem competência e nem conhecimento da doença, então não questione o laudo do colega!! Mas não é isso que acontece……

Amigos, o HTLV já tem CID-10 há algum tempo:

CID 10 – Z22.6 –  Portador de infecção causada pelo vírus T-linfotrópico tipo 1 (HTLV-1)

Já é uma luta para quem está em benefício conseguir aposentadoria, imaginem para quem não contribuiu!!!

Voltando a questão da aposentadoria, muitos estão em dúvida de como funciona. O critério é o mesmo. Você não pode pedir licença médica e nem aposentaria se não está contribuindo com a Previdência Social e/ou contribuiu por pouco tempo. Isso é mais um entrave no processo. As pessoas portadoras de HTLV, que não estão trabalhando ou não pagam autonomia, não podem solicitar auxílio doença e/ou aposentadoria.

Tem outra questão bastante grave, que deveria ser resolvida pela Previdência Social. Mas isso só vai acontecer se os portadores se mobilizarem, se unirem e saírem da sua “zona de conforto”. É a questão do “livre arbítrio” do “perito”, que a gente nunca sabe o que ele está avaliando. Se ele estiver de mau humor, você pode estar com sonda vesical, cadeira de rodas e bolsa de colostomia que ele vai, apenas, prorrogar sua licença médica. Dane-se você!!!

Não existe um cosenso na tabela de avaliação do SUS, para os portadores de HTLV. Posso falar isso com propriedade, pois fiquei durante 7 (sete) anos em benefício até conseguir a aposentadoria por invalidez…………um absurdo!!  E vejam que o meu laudo médico sempre veio da FIOCRUZ/RJ, assinado por um renomado Neurologista/Pesquisador e Professor Universitário. Mesmo assim o perito sempre me olhava com desconfiança. Até que um dia, durante uma perícia, passei pelo constrangimento de não conseguir segurar a urina por mais tempo, pois o banheiro do local estava interditado. Então ele percebeu como fiquei embaraçada e solicitou minha aposentadoria. Tive que sair de lá de taxi…………arriiiiii

Isso não aconteceu só comigo, tem acontecido com frequência, pois recebo e-mails de portadores relatando fatos semelhantes ou piores e, mesmo assim, apenas conseguem prorrogar o benefício.

Antes de ir à perícia do INSS, peça ao seu médico para colocar o CID-10 do HTLV-1 e especificar, nos mínimos detalhes, qual é o seu atual estado de saúde. Precisa também informar que o HTLV não tem cura, é progressivo, degenerativo e doloroso. Que, devido às medicações paliativas, você também sofre de transtorno cognitivo, isso é real gente!!!

Não tenham vergonha de pedir um laudo bem especificado. O seu médico não está te fazendo nenhum favor, ele está sendo pago para te atender e atender bem!! Ele tem que te olhar, te ouvir, te tocar e perguntar se você sentiu alguma diferença em seu estado de saúde desde a última consulta. É direito seu, ter um atendimento digno, humanizado e diferenciado, pois cada ser humano é uma pessoa diferente.

Não adiante você sair da consulta, cheio de dúvidas, e ficar reclamando do médico pelos corredores. A culpa também é um pouco sua e tem outra coisa, lugar de reclamar é na Ouvidoria da Instituição. Seja no SUS ou no local onde você se trata. Só assim vamos conseguir mudar a atual situação.

Me fiz entender??

Seguem alguns links interessantes sobre o assunto:

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2009/11/confira-as-regras-para-pedir-aposentadoria-por-invalidez

http://www.cjf.jus.br/cjf/noticias-do-cjf/2014/setembro/inss-deve-pagar-atrasados-ao-aposentado-por-invalidez-que-necessitava-de-assistencia-permanente-desde-a-concessao-do-beneficio

http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/01/dispensa-de-pericia-ocorre-apos-os-60-anos

Sandra Do Valle

This entry was posted in Direitos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *