Se não houver esperança, de que vale a vida?

 Olá pessoas!

Não sei se é o tempo ruim, notícias de tragédias previamente anunciadas pela mídia, causadas pelas chuvas intensas no Estado, não sei……….. Sei que amanheci deprimida e pensando em tudo que aconteceu durante o ano de 2013, profissionalmente.

Uma das coisas que mais me chatearam foi constatar que o nosso “sucesso” incomodou muito. Incomodou pessoas que deveriam ficar felizes com o reconhecimento do nosso trabalho, pessoas que deveriam fortalecer nossa união pois a luta por qualidade na saúde pública, é uma luta de todos e não apenas de uma única sigla com 3 (três) letras.

Durante todo o ano o Grupo Vitamóre trabalhou incansavelmente na divulgação do vírus HTLV, na prevenção e informação distribuindo preservativo e material gráfico informativo, em todos os “cantos” do País. Não ficamos restritos ao entorno de nossa base, como fazem a maioria das ONGS. Até porque essas ONGS preocupam-se apenas em organizarem eventos onde os temas e debates são sempre “os mesmos para os de sempre”.

Não estou generalizando, algumas ONGS, como o Grupo Pela Vidda do RJ, Niterói e São Paulo, são uma potência no enfrentamento da epidemia do HIV/AIDS e Advocacy. Para seus dirigentes, todo respeito do mundo é pouco.

Quero fazer aqui uma devolutiva dos acontecimentos positivos na questão HTLV, vamos deixar as coisas negativas para trás.

Após o Congresso no Canadá e a entrega de nossas reivindicações ao Dr. Fábio Mesquita, Diretor do Programa Nacional de DST/AIDS e Hepatites Virais, durante o Congresso de DST/AIDS que aconteceu em Salvador no mês de agosto, os processos começaram a caminhar. Reuniões começaram a acontecer para discutir ações de prevenção do HTLV, melhor qualidade no atendimento básico, etc.

No último Simpósio do qual participamos, usando da mais pura sinceridade, nenhuma novidade para os portadores que estão na ponta aguardando os resultados. Para nós que estamos mais envolvidos com os médicos e pesquisadores, constatamos que muitas são as pesquisas que estão em andamento e outras que foram aprovadas recentemente.

A pessoa que foi representando o Departamento Nacional de DST/AIDS e HP, Sra. Laura Souza, nos apresentou a seguinte linha de ação para 2014, para o HTLV:

> Intensificação das ações relacionadas ao HTLV

> Reunião para discutir novas propostas para o enfrentamento do HTLV.

             * Avaliação para a inclusão do confirmatório

 * Protocolo para o manejo do HTLV

 * Produção de materiais informativos

 * Vídeos sobre prevenção

 * Fórmula infantil

 * Avaliação da incorporação de exame confirmatório na tabela SIA/SU

O convite para a Reunião (Simpósio Nacional de HTLV), já recebemos. Acontecerá no dia 23/01/2014 em Brasília.

A verdade é que estamos com muita dificuldade em conseguir material informativo, esperamos que nesta reunião as dificuldades sejam resolvidas. O que acontece é que estamos desgastados em ter que ficar sempre repetindo o mesmo discurso e falando sobre as mesmas coisas em todos os espaços. Sempre que acontece a mudança de uma Gestão, acontece o que chamamos de “dança das cadeiras”, então aquele processo que você começou e finalizou com uma determinada pessoa, passa para outra que não tem a mínima noção do que se trata, aí você tem que começar tudo de novo…………… é um exercício constante de paciência e tolerância.

Estamos apostando todas as fichas nessa nova gestão do Departamento. O HTLV teve uma receptividade como jamais aconteceu. Esperamos que o Estado do RJ tenha o mesmo olhar para a questão. Não estamos brincando de ONG.

Ontem participamos de uma reunião muito interessante em Niterói. Estavam presentes: um representante do Instituto Vital Brazil, um representante do Laboratório Miguelote Viana, duas representantes do Programa Saúde da Mulher, a Coordenadora do Programa DST/AIDS de Niterói e eu, Sandra Do Valle representando o Grupo Vitamóre.

Em pauta:

  • Devolutiva do programa de testagem das gestantes que começou em 31/10, em 30% das unidades de saúde de Niterói – aprovada pelo Secretário de Saúde Dr. Francisco D’Angelo;
  • Fórmula infantil para filhos de portadoras do HTLV;
  • Exame confirmatório;
  • Encaminhamento para Instituição de referência, da mãe portadora e do filho para exames complementares;
  • Capacitação de profissionais para o desdobramento do projeto.

O programa ainda está em fase de implantação, arestas precisam ser aparadas a medida que forem surgindo as dificuldades. Sabemos que é assim que funciona, todo projeto precisa ser adaptado a demanda, mas confesso que saí de lá preocupada….. (em caso de resultado positivo, como será o acompanhamento dessa gestante pós parto?)

A questão da capacitação já está definida, será feita pela equipe do IPEC/FIOCRUZ-RJ, com a supervisão do Dr. Abelardo Araújo (isso me deixou bastante tranquila, pois não existe equipe melhor no RJ).

Não perguntem em quais unidades de saúde de Niterói o programa está sendo executado, pois não me passaram esta informação. Mas já estou providenciando a resposta.

Aproveitamos para informar que estamos distribuindo “despenser” de garrafas pet com preservativos masculinos, femininos e gel lubrificante, para qualquer ponto comercial. O verão está chegando e, se a temperatura subir muito, a pessoa não precisa ficar procurando farmácia para comprar preservativos. Distribuímos em bancas de jornal, bares, quiosques e barracas em praias. A distribuição é gratuita. Quem estiver interessado em colocar em seu comércio, entre em contato através dos telefones: (21) 3091-8493 – (21) 9.87124634(Sandra) – (21) 9.9389-6659(Laura Lee)

Não custa nada lembrar, mas a confecção dos kits gera custos. Se alguém puder contribuir, disponibilizamos aqui o nº de nossa conta bancária:

Banco Itaú – Ag. 0059   C/c. 20463-6

Desde já, desejamos a todos um Feliz Natal!!!

Abraços solidários

Sandra Do Valle

Laura Lee

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *