E-mail para o Programa Nacional de DST / AIDS e Hepatites Virais

Boa tarde Dr. Marcelo Freitas,

O que vai aqui, é quase um desabafo. Desculpe-me se o meu discurso parecer  irônico, é que escrevo com  sentimento de indignação, de exclusão, de rejeição e inferioridade. Eu escrevo com muita dor e raiva, são sentimentos misturados e confusos diante do descaso evidente à prevenção do HTLV.

Não é mais possível suportar a idéia de sempre receber um não quando peço apoio às instituições públicas para fazer material informativo. Quando não é aprovado, é recusado por passar da hora de pedir. Tempo esse que estou tomando conhecimento na dura prática do dia-a-dia, pois nunca recebi nenhum documento oficial informando sobre prazos e padrões.

Represento minha Instituição em quase todos os eventos possíveis, só não faço mais por não poder estar em vários lugares ao mesmo tempo. Mas não existe reconhecimento, sinto-me como “sardinha em cardume de tubarão”. O HTLV continua sendo excluído nas “rodas” de conversas sobre DSTs. O assunto é sempre HIV/AIDS, Hepatites Virais, Sífilis, Tuberculose,  HPV, etc.  Já existe até uma data para eventos de cada uma dessas patologias, mas o HTLV continua sendo o “menino de rua” que não merece nenhuma atenção. Não tem verba para ele, todo mundo sabe que existe, mas nada é feito pela prevenção.
Eu tenho feito o que posso e não posso, para continuar meu trabalho de divulgação. Utilizo recurso próprio para confecção de material informativo, para não deixar morrer a “sementinha”. Mas creio que já passou da hora do Ministério da Saúde tomar a frente da causa. Vem aí mais um carnaval e eu não consegui material informativo para distribuir, como fiz no carnaval passado.

O que peço é muito pouco diante do tanto que é possível fazer.  Existe demanda para o que faço, o que falta é apoio do Estado.

Estou bastante incomodada com esta situação, sabendo que a cidade está lotada de turistas, que existem grandes eventos preparados para o Carnaval e a campanha será apenas sobre o HIV/AIDS, etc., o HTLV vai continuar a margem. 
Disposição para trabalhar não me falta, o que falta é conscientizar o poder público que o HTLV é a mais importante e mais grave das DSTs, os motivos para chegar a esta conclusão são tão óbvios que não preciso explicá-los.
Abçs solidários,
Sandra do Valle
Presidente
This entry was posted in Governamental. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *