Ser jovem não significa ser imune as DST’S

Lá se foi mais um Carnaval. Tivemos, praticamente, 10 dias de folia onde as pessoas se esquecem de suas responsabilidades, esquecem do amor ao próximo e, principalmente, esquecem de cuidar da própria saúde.

Mais uma vez eu distribuí material informativo sobre o HTLV e preservativos. A reação das pessoas é sempre a mesma, não importa o local ou a hora, é previsível. 

Para evitar que os foliões apenas pegassem os preservativos, eu colei dois preservativos em cada ventarola do HTLV. As pessoas de meia idade pegavam a ventarola e tinham o cuidado em ler o conteúdo, depois então guardavam as camisinhas. As pessoas na faixa etária entre 30 e 45 anos, pegavam a ventarola, davam uma rápida olhada e agradeciam os preservativos. Já a nossa juventude, entre 14 e 25 anos, além de não pegarem as ventarolas, não se importavam nem com os preservativos. A impressão que tenho, é a de que eles são imunes a qualquer tipo de doença, sentem-se poderosos, fantásticos em suas performances, corpos definidos em academia, mega vitaminados, então porque usar “camisinha”??  Olhavam para mim com “superioridade”, talvez até pensassem: “ ...o que é isso na mão da tia? O que ela está fazendo aqui?….”

Seria cômico se não fosse trágico. Sabemos que nossos jovens estão morrendo de AIDS e outras DSTs. O informe de carnaval do Ministério da Saúde, foi bem claro nas estatísticas de contaminação do HIV. Mas os jovens não estão nem aí para isso, é lamentável!!!

Distribuí material em alguns blocos e também na Av. Marquês de Sapucaí, público bem diversificado, mas as reações são sempre as mesmas. Na Sapucaí eu utilizei a seguinte frase ao entregar a ventarola: “para refrescar o corpo e a consciência”. Creio que esta simples frase impactou, pois as pessoas paravam para ler o conteúdo da ventarola e guardavam os preservativos com cuidado.

Bom, foi um trabalho bastante cansativo, pois, este ano, não tive voluntários para me ajudarem na distribuição. Então eu aproveitei a boa vontade de alguns amigos que desfilaram em várias partes da cidade do Rio e de Niterói, e entreguei uma caixa de ventarolas para cada um, para serem distribuídas durante os desfiles.

Eu gostaria de ter feito mais, gostaria de ter saúde para ir todos os dias para a Sapucaí distribuir, pessoalmente, o material. É um trabalho gratificante, principalmente quando alguém te pergunta: O que é  HTLV?  Aí eu me realizo, pois consegui passar informações sobre o vírus para alguém que se interessou pelo assunto.

Estatisticamente falando:

Faixa etária:  de 14 a 25  –  reação:  nenhuma curiosidade e pouco interesse pelo preservativo

Faixa etária:  de 30 a 45  –  reação:  pouca curiosidade pelo conteúdo da ventarola e mais interesse pelo preservativo

Faixa etária:  50 ou mais  –  reação:  interesse pelo conteúdo, demonstraram preocupação, pediam mais informações e guardavam o preservativo.

Por incrível que pareça, os que mais se assustavam ao ler o conteúdo da ventarola, eram gays. Percebi nitidamente que eles estavam bem informados sobre qualquer DST, mas desconheciam totalmente o HTLV e alguns até me perguntavam – “onde eu faço o exame para saber se tenho esse vírus”? Minha resposta: “procure seu médico para que ele peça o teste para o HTLV, mas você precisa frisar bem que é para o vírus HTLV”. Eu só não podia dizer para quem me perguntava que, na rede pública de saúde, este exame ainda não faz parte da rotina dos exames preconizados pelo Ministério da Saúde.

Diante de tudo que foi exposto, eu continuo “batendo na mesma tecla”, o Ministério da Saúde precisa ter uma programação informativa diária, em todos os veículos de comunicação, outdoors, revistas e jornais populares, sobre DSTs. Não basta campanhas apenas durante o carnaval, é preciso informar todos os dias o que está acontecendo, quais são as DSTs, incluindo o HTLV para que tenha visibilidade, e divulgar os índices de jovens contaminados por DSTs, os índices de mortalidade por AIDS, para que eles tenham consciência de que ser jovem, sarado, malhado, não significa que estão imunes aos retrovírus que estão soltos por aí.!!

Agradeço ao Programa Nacional de DST/AIDS e Hepatites Virais, que gentilmente forneceu à VitaMóre – Associação dos Portadores do Vírus HTLV,  10.000 (dez mil) ventarolas informativas sobre o HTLV, e a Sra. Fábia Lisboa de Souza , Gerente do Programa DTS/AIDS de Niterói que cedeu à VitaMóre, em caráter extraordinário , 5 (cinco) caixas de preservativos masculinos para que fossem distribuídos no carnaval.

ESCOLA DE SAMBA EMBAIXADORES DA ALEGRIA

Abriu o desfile das campeãs no sábado (25/03), anunciando a chegada das Para-Olimpíadas de 2016 Componentes excepcionalmente especiais

Tive a honra de ser convidada à participar do Desfile!

 

Abçs solidários!!

Sandra do Valle

















This entry was posted in Campanhas, Carnaval 2012, Informativo. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *